logo do cabeçalho

Primavera/Verão Via Marte

A Via Marte preparou uma surpresa

mais
Caxias

Exposição "josé ariodante mattana - construtor da cidadania" abre segunda no museu

A Secretaria Municipal da Cultura promove a partir da próxima segunda-feira, dia 15 de setembro, a Exposição José Ariodante Mattana - Construtor da Cidadania. A abertura da mostra está marcada para às 19h no Museu Municipal (rua Visconde de Pelotas, nº 586, centro).
 
A recente doação de documentos textuais e iconográficos por parte de Jacyra Mattana ao Arquivo Histórico Municipal João Spadari Adami, revelou-se em uma oportunidade para difundir aspectos da história local em que José Ariodante Mattana (1907-2000) teve marcante presença. Na administração pública municipal, onde atuou de 1929 a 1946, integrou a equipe dos então denominados Intendentes Municipais: Thomaz Beltrão de Queiroz, Miguel Muratore e Dante Marcucci. Entre outros: traçou com detalhes o projeto de urbanização do centro da cidade, as diversas fases de construção e remodelação da Praça Dante Alighieri; da construção da Praça da Bandeira, e dos então distritos de São Marcos e Ana Rech, além de Vila Seca. Realizou o projeto e acompanhou a construção da Represa São Pedro e a ampliação da Represa São Miguel e, adiante no tempo, previu alternativas de aproveitamento do Arroio Marrecas. Não mediu esforços para que o traçado da BR-116 passasse por Caxias do Sul, impulsionando seu desenvolvimento. Atuou na iniciativa privada na empresa metalúrgica Gazola S.A., sendo fundador do Sindicato das Indústrias Metalúrgicas, Mecânicas e de Material Elétrico (SIMECS), participando ativamente também em outras entidades e associações de classe e/ou comunitárias.

A exposição é uma oportunidade para valorizar a cidadania por meio desta contribuição, para valorizar a doação de acervos particulares que passam a integrar a memória coletiva, ficando disponíveis a qualquer interessado, e ainda, para difundir o resgate da história oral realizado pelo Banco de Memória do Arquivo Histórico Municipal João Spadari Adami.
 
As lembranças de vida, o cotidiano social ao longo do tempo merecem um tratamento especial através de depoimentos gravados e transcritos que atualmente chegam a cerca de 800 depoentes e milhares de folhas de transcrição, centenas de horas gravadas, disponíveis ao público. Dentre eles, o depoimento de José Ariodante Mattana, em 19 de dezembro de 1995, sendo que alguns trechos estão destacados na exposição que poderá ser conhecida de 16 de setembro a 15 de outubro, das 9h às 17h, no Museu Municipal.
Fotos: nome fotógrafo