logo do cabeçalho
Gravataí

Moradores de contêineres em Gravataí escolhem novos apartamentos

Na noite desta quinta-feira (21), as 144 famílias que receberão as primeiras moradias do Programa de Aceleração do Crescimento – PAC Barnabé, em Gravataí, participaram de uma reunião que definiu a distribuição dos apartamentos.

O encontro foi realizado pela Secretaria Municipal de Captação de Recursos na Associação Comunitária dos Amigos do Bairro Bonsucesso (Ascab). Todas as famílias transferidas em março, por opção própria, para contêineres de moradia provisória, estão entre as 144 contempladas neste primeiro condomínio.

Calebe Guimarães, secretário municipal de Captação de Recursos e interino de Obras e Viação, destaca que a escolha das moradias é mais um passo do processo que começou no início do ano, na primeira obra do PAC. “Todos podem ter certeza de que terão uma vida nova”, destaca.

Os apartamentos estão com obras em fase final e devem ser entregues até o próximo mês. Os critérios utilizados na seleção dos primeiros moradores foram: necessidades especiais, idade, mobilidade física e número de filhos.

“É uma beleza”

Júlia Custódia Marques Pereira tem 74 anos. Ela morou durante quatro anos ao lado da ponte do arroio Barnabé, e aguarda ansiosa sua nova casa. O filho de Custódia, Sevenir, é solteiro e mora com ela. Ele diz que “é uma beleza” o local para onde vão se mudar. “Nunca tivemos um apartamento, vai ser muito bom para minha mãe”, conta.

Custódia escolheu um apartamento térreo, bem perto de uma seringueira. “Vou ficar sentada embaixo da árvore observando o movimento”, planeja.

Recomeço

Paulo Roberto Gaudino e sua esposa Tatiana têm três filhos. Eles escolheram seu apartamento no quarto andar. O casal vai morar ao lado da mãe e de uma amiga da esposa. “Ficamos perto da família e de nossos antigos vizinhos”, diz Paulo, acrescentando que este recomeço de vida será muito bom para todos.

“Sonho realizado”

Jéssica Marenco Opitz morava na beira de um valão. Sua amiga Lidiane Maciel da Silva vivia com a família nas proximidades. Elas escolheram morar perto uma da outra. Lidiane conta que a casa em que vivia era “uma peça quase caindo”. Para ela, “o apartamento é um sonho realizado”.

Fotos: Marilene Zandonai