logo do cabeçalho

Primavera/Verão Via Marte

A Via Marte preparou uma surpresa

mais
Gravataí

Procon Gravataí atende mais de 1,5 mil pessoas em sete meses

O Procon de Gravataí, inaugurado em 31 de janeiro deste ano, já prestou 1.593 atendimentos em sete meses de funcionamento. Mais de 200 pessoas foram atendidas mensalmente e seus problemas resolvidos ou encaminhados para os setores competentes. Localizado na rua Irmão Geraldo, 141 – 4º andar, o Procon tem toda a estrutura mantida pela Prefeitura e é coordenado por Ataíde Oliveira.

“Nós conseguimos resolver a maioria dos problemas, intermediando os contatos com a outra parte envolvida na reclamação. Mas quando não é possível achar uma solução rápida ou quando o problema não é da nossa competência, nós encaminhamos a pessoa para o lugar certo”, destaca Ataíde.

A equipe do Procon ainda conta com a contadora Patrícia Gonçalves dos Santos na área administrativa e financeira, Daiane Cabral e Elisângela Savedra na assistência jurídica, Cristina Martins na educação para o consumo e as estagiárias Cindy Maiara Thuns e Ana Paula Santos no atendimento. Empresas de telefonia e bancos continuam gerando a maioria das reclamações.

Atendimentos

As mulheres superaram os homens nas reclamações ao Procon: foram atendidos 847 mulheres e 738 homens. Os casos considerados essenciais ou financeiros, entre eles as reclamações contra empresas de telefonia e bancos, foram 986. Queixas relativas a produtos comprados com defeito foram 321. As reclamações que o Procon encaminhou para outros órgãos somaram 176.

Reclamações

O sargento da Brigada Militar Rainieri Grimaldi da Silva já procurou o Procon duas vezes. “A empresa de telefonia dobrou o valor da minha conta, cobrando serviços que eu não havia pedido. Tentei resolver por telefone, mas não consegui. Vim no Procon, eles entraram em contato e resolveram. Paguei a conta certa. Estou aqui novamente porque a empresa de telefonia me mandou neste mês outra conta com as mesmas cobranças”, explicou Rainieri.

Lúcia Weber Cardoso não quis atrasar uma conta telefônica quando os Correios estavam em greve. Retirou uma via pela internet, fazendo o pagamento de R$ 206,03. Depois ela descobriu que a conta era de R$ 34,74. Agora, está solicitando a devolução do que pagou a mais. “Já tentei de tudo. Eles disseram que iam devolver na próxima conta, mas já veio outra sem nenhum desconto. Eu ligo e eles ainda dizem que paguei porque quis. Por isso, estou procurando o Procon”, contou.

Eliana Lacerda de Lacerda teve duas compras feitas com o seu cartão, uma de dez vezes de R$ 24,95 e outra de seis vezes de R$ 22,35. Compraram assinaturas de TV a cabo que ela nem tem em casa. “Usaram o número do meu cartão, mas ele nunca saiu da minha mão. Não sei como fizeram isso. Não paguei e nem vou pagar. Espero que o Procon resolva o problema”, finalizou.

Contato

O Procon atende gratuitamente de segunda a sexta-feira, das 10h às 16h. Outras informações pelos fones 3497-6134 ou 3497-6495.